quarta-feira, julho 30, 2008

QUEM TEM BOCA...

Pois bem, por uma lei besta anti-terrorismo, os cybercafés e lan houses nao deixam acessar o HD ou pendrives, razao pela qual so posso fazer upload das minhas fotos quando chegar em Napoli, onde o albergue tem wi-fi. Até la, vai tudo ficar incompleto. Ah, sim, tudo bem? Pra quem nao sabe, estou em Roma, regiao da Lazio, no inicio de mais uma das minhas jornadas anuais em busca de aventuras e festivais. Meu terceiro dia aqui, sob um calor de rachar, de uns 37 graus, sol fortissimo, aguardando o horario de reabertura de tres igrejas aqui perto (ja sao 15h, 5 a mais do que no Brasil) e ja andei por todos os lugares possiveis, aprendendo mais Historia antiga em dois dias e meio do que em mais de 20 anos. Posso dizer, enfaticamente, que fica pau a pau com Paris como melhor cidade historica do mundo. Pau a pau, sim, qual o problema? A Roma Antiga era toda bissexual. E os franceses...

Esse texto vai sem revisao, afinal o tempo pra se gastar na Internet é curto. Ja afirmo logo que 4 dias e meio é muito pouco pra se ver tudo, sair a noite e descansar. Mau planejamento. Uma semana teria sido o ideal. Isso porque nao estou exatamente saindo a noite pra poder aproveitar o dia e ainda nem peguei a fila imensa do Vaticano, o que farei amanha bem cedinho. E, como todos os guias dizem "dress accordingly", que melhor traje entao do que o manto sagrado? Aguardem.

Bom, como começar? A viagem nao foi la essas coisas. Tive que pegar o voo da TAM às 6:15 da manha pra Cumbica, onde acabei ficando no hotel do aeroporto (estilo japones, um cubiculo com beliche) pra dormir por 3 horas. Em SP, a surpresa: passaram mal no aviao e vomitaram na minha poltrona. Lindo. Colocaram-me em outra, ao lado da porta de emergencia. Otimo espaço para os pés, mas ao lado de um gordo tenso que nao parava de se mexer. Mas dormi bem pouco. E ao chegar em Fiumicino, uma cena bizarra dentro do aviao: um menino correndo em direçao ao banheiro, vomitando no saco, mas deixando escapar pelas bordas. Foi a Guerra do "Gorfo" aquele voo. Fora o jet-lag, pelo menos cheguei cedo ao hotel, que é bem perto da estaçao Termini.

Banho tomado, la vou eu pegar o metro e dar uma volta na cidade antiga: Coliseu, Foro Imperiali, Foro Romano, Piazza Veneza, Monumento a Vittorio Emanuelle... Nao entrei em nenhum, o que acabei fazendo no dia seguinte, mas so de contemplar aquilo, quase chorei. Sério. Um sentimento que viria a se confirmar ontem foi o de fazer uma vasectomia ou rezar pra ficar estéril. Jamais vou deixar nada atrapalhar o meu destino de conhecer o mundo inteiro e me afogar em conhecimento. Meu avo ficaria orgulhoso.

Dali voltei ao hotel pra almoçar o melhor spaghetti alla matriciana da minha vida e dormir umas duas horas. Comecei a andar entao. Termas de Diocleciano (fechadas na segunda), Piazza della Republica, Via Delle Quattro Fontane (com quatro fontes, duh), Palazzo Barberini e terminando (apos muitas subidas e descidas) na famosa Piazza di Spagna, com a escadaria e a fonte la embaixo, ao lado da casa de Keats, hoje museu Keats-Shelley. Ali a constataçao de que agua em Roma era de graça, espalhada por centenas de pequenas fontes e hidrantes pela cidade e completamente potavel. Nao passo meia hora sem entornar a agua ja morna da garrafinha e encher de novo. Pior que sai quase gelada. Genial. Louve-se os romanos pelos sistemas de aguas, esgotos e aquedutos.

Pela Via Condotti, com todas as marcas chiques, como Fendi, Gucci, etc., chega-se a Via Del Corso, onde os onibus pedem licença para os pedestres. E apesar de estar com meu cartao de turista e validar a passagem em cada viagem, pra evitar uma multa sinistra (bizarra), muita gente anda de graça, arriscando ser pego por uma fiscalizaçao aparentemente inexistente. Saida pela sinistra (esquerda). Piazza Del Popolo, imponente, compras de DVD (logico) e descida em direçao a Fontana Di Trevi, passando antes pelo Montecitorio e pelo Templo de Adriano, conservado por ter se integrado a uma igreja construida depois. O primeiro de muitos gelattos adquiridos nestes tres dias foi tomado com uma expressao de prazer, a mesma que eu repetiria ao provar pela primeira vez as massas al dente, os paninis, os capuccinos e as pizzas. Foi mal, França, mas a cozinha italiana é a melhor do Universo. Um orgasmo.

A Fontana é impressionante, mas deve ser fantastica à noite. A conferir. E com menos turistas, por favor. Joguei as duas moedinhas, pra me apaixonar aqui mesmo, quem sabe, e segui caminho. Uma passada no Pantheon, ja fechado (entrei so hoje), quase escurecendo (umas 8 e pouco da noite) e fui ao Largo di Torre Argentina, onde coincidentemente me encontro agora. Mais ruinas antigas e uma peculiaridade: o lugar é um antro de gatos. Centenas deles. Ha um abrigo onde cuidam, castram e esterilizam os bichanos, com doaçoes aceitas, obrigado. Acariciei um que se aproximou (only pussy I'll ever stroke here?), dei um pulo na suposta agitaçao noturna do Campo Dei Fiori, fui jantar no Insalatta Ricca, desfiando meu "italigues" imperfeito (capisce?) e de la fui apagar, quase 23h, como se adivinhando a maratona de ontem.

Amanha, ossos de santos, reliquias de Jesus, ruinas romanas e vidros quebrados.

Ciao!

UPDATE: Consegui um internet point Tabajara e aqui faço qualquer coisa, logo, subi as fotos do primeiro dia aqui. As descriçoes e detalhes eu coloco depois. Arrivederci!!

terça-feira, julho 08, 2008

INTERLÚDIO - PARTE II

Sim, senhores e senhoras, parece incrível, mas ainda aguardo a devolução dos meus guias de viagem de Buenos Aires. Aproveito o marasmo pra fazer três anúncios:

1) No ar minha nova mixtape, com o que venho ouvindo no momento;

2) Em breve, novo texto no ar no Bacana;

3) Aguardem por um novo blog além deste aqui.

quinta-feira, julho 03, 2008

QUEM RI POR ÚLTIMO RI MELHOR
Também poderia ser A VINGANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO. Depois de ser humilhado pelos integrantes da Famigerada Torcida Arco-Íris após a derrota para o América do México, um a um assisti aos três asquerosos timecos do Vascu, Bostafogo e Flumerda serem eliminados dos respectivos campeonatos. E o que é ainda melhor, nos pênaltis, naqueles últimos segundos de desespero onde ainda acreditavam poderem ganhar. Justiça divina.

Em duas quartas-feiras, o status quo foi restabelecido: o Mengão é o único campeão de 2008 até o momento e líder do Brasileirão. Por enquanto basta.

E nenhum deles mereceu tanto perder quanto o Frutinense, pela empáfia do Renato Gayúcho e por achar que já era campeão muito antes de hoje. Que sofram todos os torcedores tricolores pela vergonha de terem ganho a Terceira Divisão no tapetão e que voltem pra Segunda no fim deste ano, de onde nunca deveriam ter saído daquela maneira vergonhosa.

CHORA, TRICOLOR!!! SE FODE AÍ!!!

MENGO!
Site  Meter Clicky Web Analytics